Catedrático da UMinho acusa Governo de “mexicanização do ensino superior”

Num artigo publicado ontem, no primeiro caderno do Expresso, o catedrático Aguiar-Conraria acusou o Governo de asfixiar as universidades mais dinâmicas. Algo que porém só pode surpreender aqueles Portugueses mais distraídos, pois os outros já há algum tempo que tinham constatado a referida mexicanização cujo resultado mais óbvio é que o desempenho da maioria das universidades Portuguesas, face às sua congéneres a nível internacional, venha piorando de ano para ano, e isso apesar das “fake news” da imprensa Portuguesa que tentam vender uma narrativa cor-de-rosa e que já tinha denunciado aqui. 

Tendo ainda em conta que no ensino superior existe uma competição internacional por talento, então não pode admirar que aqueles professores e investigadores Portugueses mais talentosos acabem por se fartar de uma vez por todas da tal mexicanização promovida por este Governo e rumem a outras paragens, onde valorizam o mérito, e pagam salários de valor muito superior aqueles que se pagam na Academia Portuguesa, como sem surpresa, sucedeu aliás com aqueles cientistas que aparecem no topo da lista que foi divulgada aqui. 

PS – Já aqueles que optarem por ficar por cá a suportar a supracitada e miserável mexicanização da Academia, já sabem aquilo que os espera, concursos aconchegadinhos blindados à concorrência e a cereja no topo do bolo, salários inferiores aos que um jovem licenciado, possuidor de um cartão do partido socialista, ganha  no seu primeiro emprego.