As áreas científicas tecnológicas mais competitivas de Portugal

https://19-pacheco-torgal-19.blogspot.com/2022/02/quais-sao-as-areas-cientificas-mais.html

Na sequência do post anterior, acessível no link acima, listam-se abaixo, as áreas científicas tecnológicas de instituições de ensino superior Portuguesas, com o melhor desempenho no ranking Shanghai de 2022, quando comparadas com as suas congéneres Alemãs, em termos do número de instituições melhores classificadas no Top 5 Luso-Germânico: 

Civil Engineering……………….Portugal (4)       Alemanha (1)

Food Science……………………..Portugal (3)       Alemanha (2)

Chemical Engineering…………Portugal (2)       Alemanha (3)

Instruments sciences…………..Portugal (2)       Alemanha (3)

Transportantion science……… Portugal (1)       Alemanha (4)

Elect. Engineering……………….Portugal (1)       Alemanha (4)

Water resources………………… Portugal (1)       Alemanha (4)

Ocean Engineering……………..Portugal (1)       Alemanha (0)

Envir. science & Eng…………..Portugal (1)       Alemanha (4)

PS – Atento o resultado supra, menos ainda se entende,  a não ser por incompetência ou até mesmo ignorância, que entre os 13 académicos, que foram escolhidos para integrar o Conselho Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação-CNCTI, não haja um único, da área científica de Engenharia Civil !!!!  https://pacheco-torgal.blogspot.com/2021/02/os-lideres-academicos-cientificos-que.html

No grupo dos 10 países europeus com maior consumo de energia hidroelétrica Portugal é o único (desgraçado) que não consegue reduzir as emissões de carbono

Na sequência de um post anterior sobre emissões de carbono com o estranho título de “O diabo ou o judeu__Qual terá razão sobre as alterações climáticas?”, onde se confrontam Bendell versus Harari, é pertinente divulgar o facto de um estudo muito recente, de título, “Does hydropower energy help to reduce CO2 emissions in European Union countries?” que incide sobre um período de quase 30 anos (1991-2019) publicado na revista Environmental Development, mostrar que no grupo dos 10 países europeus com maior consumo de energia hidroeléctrica (Noruega, Suécia, França, Itália, Áustria, Suíça, Espanha, Alemanha, Finlândia e Portugal) o nosso país é o único que desgraçadamente não consegue reduzir as emissões de dióxido de carbono. https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S2211464522000963?via%3Dihub

PS – No contexto supra revisite-se o nada optimista post de 29 de Janeiro de 2022, com o título “O último suspiro desesperado de um sistema moribundo” https://19-pacheco-torgal-19.blogspot.com/2022/01/artigo-o-ultimo-suspiro-desesperado-de.html

Dizem que o exemplo vem de cima, mas é mentira, pelo menos nalgum ensino superior

https://19-pacheco-torgal-19.blogspot.com/2023/01/2022-producao-cientifica-indexada-por.html

Sobre o tal ranking da produção cientifica das instituições de ensino superior no último ano, que foi divulgado no post acessível no link acima, apresenta-se abaixo, a produção científica indexada dos Presidentes e também dos Directores das várias escolas dos três politécnicos, do fundo da referida tabela, os Politécnicos de Santarém, de Castelo Branco e de Tomar. Não obviamente a sua produçáo científica durante o ano de 2022, porque esses dirigentes andam ocupadíssimos na difícil tarefa de dirigir e portanto não tem tempo algum para qualquer tipo de investigação, mas sim a média da sua produção anual ao longo da última década, um período de tempo suficiente para terem qualquer coisinha para mostrar. 

Os resultados, apresentados no final deste post, mostram que Politécnicos de Santarém e de Tomar tem presidentes com uma produção científica superior à média da sua instituição, o que porém não acontece com o Presidente do Politécnico de Castelo Branco. Quantos à produção científica dos Directores das Escolas das três instituições, o panorama é na sua esmagadora maioria, péssimo. No Politécnico de Tomar há dois Directores com uma produção risivel, esse número sobe para três no Politécnico de Santarém e o Politécnico de Castelo Branco tem quatro Directores, cuja produção científica consegue ser inferior à baixa produção dessa instituição, o que em boa verdade, já lhes deveria ter garantido o despedimento com justa causa, vide proposta feita nesse sentido, na parte final do meu post anterior, “…despedimento…também de todos os professores-coordenadores com um h-index inferior a 5) por violação grave do dever de investigar….” pois o dinheiro que os contribuintes desperdiçam com o seu imerecido salário, seria muito melhor empregue a contratar jovens investigadores de elevado potencial, a que infelizmente não resta outro caminho senão o da emigração, como sucedeu aquela jovem investigadora da Universidade de Coimbra, que há dois anos teve de sair de Portugal e que desde essa altura trabalha como Pós-Doc na universidade de Gotemburgo a ganhar o mesmo que ganha um catedrático em Portugal.

Declaração de interesses: Declaro que há alguns meses atrás critiquei a possibilidade de se andarem a pagar suplementos remuneratórios a dirigentes incompetentes, de instituições de ensino superior. Vide post de título “A mamata indecente dos suplementos remuneratórios no ensino superior” 

Politécnico de Santarém

Presidente………………………………………………..3.2 publicações/ano

Director da Escola Agrária…………………………0.1

Director da Escola de Desporto…………………..2.1

Director da Escola de Educação………………….0.0

Director da Escola de Gestão e Tecnologia…..0.1

Director da Escola de Saúde……………………….0.8

Politécnico de Castelo Branco

Presidente………………………………………………..0.5 publicações/ano

Director da Escola Agrária…………………………0.1

Director da Escola de Artes………………………..0.0

Director da Escola de Educação………………….1.4

Director da Escola de Gestão……………………..0.0

Director da Escola de Tecnologia………………..3.6

Director da Escola de Saúde……………………….0.3

Politécnico de Tomar

Presidente………………………………………………….2.3 publicações/ano

Director da Escola de Gestão de Tomar…………1.9

Director da Escola de Tecnologia de Tomar……0.4

Director da Escola de Tecnologia de Abrantes..0.0

Medicina na Universidade Fernando Pessoa? A sério?

Sr. Provedor do jornal Público,

na qualidade de leitor e assinante do Público, sou a enviar-lhe a presente queixa sobre o conteúdo de um artigo hoje publicado, de título supra, da autoria do João Miguel Tavares. https://www.publico.pt/2023/01/26/opiniao/opiniao/medicina-universidade-fernando-pessoa-serio-2036408

Antes de o fazer devo porém declarar que aprecio o referido comentador e mais do que uma vez fiz menção disso mesmo, como por exemplo aqui https://pacheco-torgal.blogspot.com/2020/01/307000-euros-de-dinheiros-publicos-por.html

Hoje porém o João Miguel Tavares merece critica, pois estranhamente esqueceu-se de referir que é casado com uma médica, e é sabido que todos os médicos deste país odeiam, por razões meramente financeiras, ouvir falar de novos cursos de medicina. Todos os médicos não, pois felizmente há uma honrosa excepção, de nome José da Ponte, o primeiro director do curso de medicina da universidade do Algarve e que não se coibiu de apelidar os médicos de mafiosos https://pacheco-torgal.blogspot.com/2020/08/o-medico-que-chama-mafiosa-classe-medica.html

​Será honesto e rigoroso da parte do ​ João Miguel Tavares, limitar-se a referir que o Hospital de Gaia nada tem a ver com a candidatura, levando os leitores a crer que houve má fé ou até crime na candidatura do curso de medicina, quando na verdade isso só sucede porque a nova Administração do referido hospital resolveu enviar para o lixo o acordo feito pela anterior Administração ? 

E porque é que o mesmo João Miguel Tavares que deixou no ar, de forma leviana, a suspeita de ter havido irregularidades na aprovação desse curso, não se preocupa com a verdadeira história da tal Administração que voltou com a palavra atrás ?

E nem vale a pena comentar a hipocrisia de um justiceiro que parece que só descobre defeitos na classe politica, mas que nunca ninguém o viu a dedicar a mesma justiça à classe a que pertence a sua mulher.  A tal classe que é frequentemente noticia por péssimas razões, razões essas muito piores do que aquelas que levaram o Reitor da universidade Fernando Pessoa a tribunal  https://pacheco-torgal.blogspot.com/2019/10/a-mafia-da-medicina.html

PS – E que dizer dos médicos que gostavam de tornar crime a indignação dos doentes ? Será que já não lhes basta matarem doentes por negligência e serem condenados a uma suave pena suspensa ?

ChatGPT-3___The Value of Life for an Elderly Person in a Coma

Regarding the artificial intelligence model, ChatGPT-3, which was made public at the end of 2022 and which in just 5 days surpassed 1 million users, CEO Sam Altman has recently denied the content of the image, allegedly representing a colossal difference between the capabilities of the current model and its future successor ChatGPT-4 https://www.theverge.com/23560328/openai-gpt-4-rumor-release-date-sam -altman-interview

To what extent the new version will be more powerful than the one that was made public in November seems to be unimportant and even a distraction from the potential of ChatGPT-3. In this context, I believe it is important to remember a report released by Elsevier in 2022, Research Futures 2.0, which found that before the Covid-19 pandemic, the Computing course was the most sought after in MOOCs (massive open online courses), but after the pandemic, the most popular course has become about Personal Development.

This fact is not entirely unexpected given what I wrote on November 19, 2019, a few months before the first cases of Covid-19 were detected. And ChatGPT-3 will be able to contribute to the aforementioned demand. But much more important, however, are the potential of ChatGPT-3 (and mainly of its future successors) to act as a mental health therapist https://www.jmir.org/2019/5/e13216/ and curiously an inquiry involving more than 12,000 people from different countries revealed that more people prefer robot therapists than human psychotherapists https://workplaceinsight.net/people-with-mental-health-would-prefer-a-robot-therapist-to-a -human/

PS – I reproduce below a question that I asked ChatGPT-3 today and also its answer:

My question: In the context of serious energy limitation, where it is only possible to choose one option between two hypotheses, which one should you choose? The hypotheses are as follows:

First hypothesis, using that energy to power a life support machine, which will keep a very old person in a comatose state for 1 year, with the certainty that he will never wake up again.

Second hypothesis, using that energy to power an AI algorithm, which will be able to advise millions of people with mental health problems, preventing the suicide of thousands.

ChatGPT-3 answer“This is a difficult and complex decision, as both options have their advantages and disadvantages… My suggestion would be to consider the following questions:

– What is the desire of the person in a coma or their family regarding the use of life support?

– What is the probability of success of the AI algorithm in preventing suicide?

– Is there another way to solve each problem?

– What is the ethical importance of prolonging the life of a person who will never wake up again?

It’s important to remember that there is no right or wrong answer in this situation, and it’s important to consider all factors before making a decision. Additionally, if it’s a decision that could affect many people, it would be important to discuss this choice with experts and others who may have a different perspective.”

Previsões irrealistas, curiosas preferências e a análise pelo ChatGPT-3 do valor da vida de uma pessoa idosa em coma

Sobre o modelo de inteligência artificial, ChatGPT-3, que foi tornado público no final de 2022 e que em apenas 5 dias ultrapassou 1 milhão de utilizadores, acaba de saber-se que o CEO Sam Altman desmentiu rumores irrealistas, vertidas numa imagem muito mediatizada, que representa uma diferença absolutamente colossal, entre as já elevadas capacidades do actual modelo e o seu futuro sucessor ChatGPT-4 https://www.theverge.com/23560328/openai-gpt-4-rumor-release-date-sam-altman-interview

Até que ponto é que a nova versãodo ChatGP-3, será mais poderosa do que aquela que foi tornada pública no final do mês de Novembro parece ser muito pouco importante e até uma distracção face às potencialidades do ChatGPT-3. Neste contexto, entendo importante relembrar um relatório divulgado pela Elsevier em 2022, Research Futures 2.0, que deu conta que antes da pandemia do Covid-19 o curso de Computação era o mais procurado nos MOOCs (cursos on-line abertos massivos), porém depois da pandemia o curso mais procurado  passou a ser sobre Desenvolvimento Pessoal

Esse facto não é totalmente inesperado face aquilo que escrevi em 19 de Novembro de 2019, alguns meses antes de Março de 2020, quando foram detectados os primeiros casos de Covid-19 em Portugal. E o ChatGPT-3 poderá contribuir para essa procura. Mas muito mais importante porém, são as potencialidades do ChatGPT-3 (e principalmente dos seus futuros sucessores) para actuar como terapeuta de saúde mental https://www.jmir.org/2019/5/e13216/ e curiosamente um inquérito envolvendo mais de 12000 pessoas, de vários países, revelou que há mais pessoas a preferirem robots psicoterapeutas do que psicoterapeutas humanos https://workplaceinsight.net/people-with-mental-health-would-prefer-a-robot-therapist-to-a-human/

PS – Reproduzo abaixo uma questão que hoje coloquei ao algoritmo ChatGPT-3 e bem assim a respectiva resposta:

A minha questão: Se eu tiver limitações de energia e só puder escolher uma opção entre duas hipóteses, qual devo escolher? As hipóteses são as seguintes: 

– Primeira hipótese, usar essa energia para alimentar uma máquina de suporte de vida, que manterá uma pessoa muito idosa em estado comatoso por 1 ano, com a certeza de que ela nunca mais acordará

– Segunda hipótese, usar essa energia para alimentar um algoritmo de IA, que será capaz de aconselhar milhões de pessoas com problemas de saúde mental, o que evitará o suicídio de alguns milhares.

Resposta do ChatGPT-3: “Essa é uma decisão difícil e complexa, pois ambas as opções têm suas vantagens e desvantagens…Minha sugestão seria considerar as seguintes questões:

  • Qual é o desejo da pessoa em estado comatoso ou de sua família sobre o uso do suporte de vida?
  • Qual é a probabilidade de sucesso do algoritmo IA em evitar suicídios?
  • Existe outra maneira de resolver cada problema?
  • Qual é a importância ética de prolongar a vida de uma pessoa que nunca mais acordará?

É importante lembrar que não há uma resposta certa ou errada nessa situação, e é importante considerar todos os fatores antes de tomar uma decisão. Além disso, caso seja uma decisão que possa afetar muitas pessoas, seria importante discutir essa escolha com especialistas e outras pessoas que possam ter uma visão diferente”

Uma descoberta merecedora de um Nobel ou a promoção (pelo semanário Expresso) de ignorância catedrática ?

O Expresso organizou  recentemente uma conferência sobre o futuro do cimento e do betão. Curiosamente o único catedrático que lá apareceu foi um catedrático de nome Paulo Ferrão, do Instituto Superior Técnico. Sucede porém  que o mesmo não teve qualquer formação de base sobre cimento ou betão durante a sua licenciatura, a não ser que a licenciatura em engenharia mecânica do Técnico, seja um caso único a nível mundial, baseada no desenvolvimento de máquinas fabulosas, sem dúvida merecedoras de um Nobel (ou vários) cuja fonte de energia, não é o gasóleo, nem a gasolina, nem a eletricidade, mas o cimento ! 

O referido catedrático também nada estudou na sua tese de mestrado sobre esse tema, tão pouco se debruçou sobre essa área nas suas investigações de doutoramento e de certeza absoluta que não foi o seu exercício de cargos de gestão, quando foi convidado pelo seu Colega de departamento, o Ministro Manuel Heitor, para Diretor do programa MIT-Portugal e para Presidente da FCT, que o tornaram um especialista em cimento ou betão. Em resumo, o seu conhecimento sobre essa especialidade é na melhor das hipóteses o de um leigo. 

PS – Quem não faltou â dita conferência sobre cimento e betão, foi o Sr. Otmar Hübscher, CEO da empresa cimenteira, que há largas dezenas de anos anda esburacar o Parque Natural da Serra da Arrábida e que pretende continuar com essa danosa actividade nas próximas dezenas de anos. Talvez porque o Expresso, por distração ou ignorância, ainda não tenha informado o seu público que é cientifica e tecnologicamente possível produzir betão, sem cimento e logo sem a necessidade terceiro-mundista de andar a esburacar Parques Naturais https://www.elsevier.com/books/handbook-of-alkali-activated-cements-mortars-and-concretes/pacheco-torgal/978-1-78242-276-1

Declaração de interesses – Declaro que no passado evidenciei ter pouca consideração pelo mandato do catedrático Paulo Ferrão, enquanto Presidente da FCT, mandato esse durante o qual foi levado a cabo uma (pseudo) avaliação de unidades de investigação (onde as métricas foram proibidas, numa grosseira violação do principio da transparência, assim impedindo que se soubesse o que de facto cada uma delas tinha produzido) e que resultou num “rodízio de Excelentes e Muito Bons” que não bate certo com aquilo que é a realidade da ciência Portuguesa, onde abunda a mediania e a excelência é muitíssimo escassa https://pacheco-torgal.blogspot.com/2019/11/carlos-fiolhaisa-fraca-qualidade-da.html Ainda sobre unidades de investigação e a falta de rigor do Expresso, declaro ainda, que em 2017 a Entidade Reguladora da Comunicação-ERC, apreciou uma queixa que apresentei contra aquele semanário, relativamente a noticias contendo dados falsos sobre aquelas, tendo a mesma ERC, pela sua deliberação ERC/2018/154 (CONT JOR-I), confirmado a ocorrência de uma situação de violação do dever de rigor informativo. 

2022 – Produção científica por instituição__UAveiro no topo enquanto que os Politécnicos de Santarém, Castelo Branco e Tomar “lideram” o fundo da tabela

Ainda sequência da polémica sobre a mexicanização do ensino superior (catedrático Aguiar-Conraria dixit) que eu mencionei no meu post de 24 de Dezembro, e do inerente, irónico e injusto favorecimento das instituições de ensino superior menos dinâmicas, lista-se abaixo a produção cientifica, indexada, na base Scopus, referente ao ano de 2022, a qual comprova, uma vez mais, que aquelas instituições que menos produziram estão entre as que foram mais favorecidas.

1 – UAveiro……………..6.5 publicações indexadas por docente ETI

2 – UPorto………………5.2

3 – UCoimbra………….4.9 

4 – UMinho……………..3.8  

5 – UNova………………3.7 

6 – ISCTE……………….3.7  

7 – ULisboa…………….3.5 

8 – UBI…………………..3.3  

9 – IPol.Viana C………2.8

10 – IPol.Bragança…..2.3    

11 – UMadeira…………2.3

12 – UTAD………………2.2     

13 – UALG……………..2.1  

14 – UÉvora……………1.9  

15 – UAçores…………..1.7

16 – IPol.Porto………..1.6

17 – IPol.Leiria…………1.4 

18 – IPCA………………..1.3

19 – IPolPortalegre…..1,3  

20 – IPol.Coimbra…….1.2 

21 – IPol.Viseu…………1.1

22 – UAberta…………….1.0   

23 – IPol.Setubal……..1.0

24 – IPol.Lisboa……….0.9 

25 – IPol.Beja…………..0.9

26 – IPol.Guarda………0.9 

27 – IPol.Tomar………..0.8

28 – IPol.C.Branco……0.8 

29 – IPol.Santarém……0.5  

Cientistas exigem ter acesso ao mesmo estatuto de acumulação dos deputados

Tendo em conta que a tal deputada do PS, que foi mencionada no final do post, andou desde 2010, a acumular a remuneração de deputada com outra da REN, o que significa que nesse período, ganhou mais de 1,5 milhões de euros, é mais do que justo que os Cientistas exijam ter acesso a igual estatuto de acumulação de remunerações. Ou em alternativa, que passem a pagar a mesma taxa reduzida de IRS que pagam os estrangeiros que trabalham em Portugal, inclusive até mesmo aqueles que ganham milhões

Até porque se outra razão não houvesse, essa acumulação permitirá compensar os Cientistas por serem a classe profissional, em toda a função pública, que perdeu mais rendimentos ao longo da última década https://www.jn.pt/nacional/magistrados-e-deputados-com-mais-aumentos-medicos-ganham-menos-14968666.html Situação essa que é ainda por cima agravada por comparações internacionais, que colocam Cientistas Portugueses no topo da carreira, a ganharem o mesmo que ganha um aluno de doutoramento em universidades do Norte da Europa. 

O que é muito diferente daquilo que ocorre com os deputados Portugueses, que não só ganham muito mais do que merecem, mas que proporcionalmente até ganham mais do que os deputados da França e do Reino Unido https://pacheco-torgal.blogspot.com/2020/01/os-politicos-deveriam-ter-uma.html

PS – E nem sequer falo dos astronómicos prejuízos que os nosso deputados causaram ao nosso país, com a aprovação de leis amigas de burlões, vigaristas e corruptos e mais recentemente, pasme-se, criando novos entraves a que justiça possa apreender e declarar perdidos a favor do Estado o produto das actividades criminosas, ao contrário do que se faz noutros países e como também recomenda uma Directiva Europeia.

Actualização em 18 de Janeiro – O jornal Público informa hoje que a supracitada deputada do PS, Jamila Madeira, não declarou os seus rendimentos em metade das declarações que entregou e porém não foi demitida como a lei exige. Será que as leis da República não se aplicam aos políticos do partido socialista ?https://www.publico.pt/2023/01/18/politica/noticia/metade-declaracoes-rendimentos-jamila-madeira-tc-rendimentos-2035426

As cabras e os cabrões

Ao contrário do que à primeira vista possa parecer o título deste post nada tem de escandaloso ou sequer de original, porque é uma cópia do título de um post de um blogue de um magistrado aposentado, acerca do artigo choque, publicado hoje na revista Sábado, artigo esse que revela várias coisas escandalosas sobre os políticos Portugueses.

Desde logo que se a referida revista não tivesse tido vários jornalistas durante vários meses a analisar as declarações patrimoniais dos políticos Portugueses, depositadas no Tribunal Constitucional, os Portugueses não teriam forma alguma de saber o nome daqueles que possuem o maior património. Listo abaixo os nomes dos políticos milionários do Top 10 nacional:

1º – Basilio Horta………..Presidente da Câmara de Sintra (PS)…..10 Milhões de euros

2º – Lacerda Sales………Secretário de Estado (PS)……………………2.6 milhões de euros

3º – Ofélia Ramos……….Deputada (PSD)………………………………..1.8 milhões de euros

4º – Carlos Moedas……..Presidente da Câmara de Lisboa (PSD)..1.5 Milhões de euros

5º – Mónica Quintela…..Deputada (PSD)………………………………..1.4 milhões de euros

6º – Paula Cardoso……..Deputada (PSD)………………………………..1.3 milhões de euros

7º – Fernando Ruas…….Presidente da Câmara de Viseu (PSD)….1.3 milhões de euros

8º – António C.Silva……Ministro da Economia (PS)…………………1.1 milhões de euros

9º – Sergio Marques……Deputado (PSD)………………………………..1.1 milhões de euros

10º – Elvira Fortunato..Ministra da Ciência (PS)…………………….1.1 milhões de euros

Como bem explica o artigo hoje publicado na revista Sábado, na França, qualquer cidadão pode, em poucos segundos, saber a situação patrimonial de qualquer Ministro Francês, basta que entre no site da Alta Autoridade para a Transparência na Vida Pública. E aqueles políticos Franceses que se esquecerem de entregar as declarações sobre o seu património ou omitirem informações podem arriscar 3 anos de cadeia, o pagamento de 45.000 euros de multa, e ainda ficarem 10 anos sem poderem exercer funções públicas, que foi precisamente o que aconteceu ao Ex-Primeiro Ministro François Fillon, por ter criado um falso emprego de assistente parlamentar para a sua mulher.

Já em Portugal é a pouca vergonha que se sabe, o PS e o PSD (os dois partidos que já se tinham aliado no passado para criar as vergonhosas subvenções vitalícias, que custam milhões aos contribuintes e que explicam porque é que o cadastrado Armando Vara aufere uma pensão de quase 9000 euros/mês) aliaram-se para dificultar ao máximo que os Portugueses possam conhecer a situação patrimonial dos políticos, obrigando a pedidos ao Tribunal Constitucional e ao agendamento de visitas aquela instituição. E não contentes com essa infâmia, ainda trataram de garantir que nada acontece, de verdadeiramente grave, aqueles políticos que entreguem a declaração incompleta ou que nem sequer a entreguem, e a prova cabal disso mesmo é feita no referido artigo, que dá conta de centenas de declarações com falhas e omissões e até de declarações que nem sequer foram entregues. 

PS – O link para o post, que foi mencionado acima, do tal blogue do tal magistrado aposentado é este aqui https://portadaloja.blogspot.com/2023/01/a-cabras-e-cabroes-dos-politicos.html#disqus_thread. Convém porém ter presente que se trata do magistrado pouco dado a meiguices que também já tinha escrito sobre o Governo de José Sócrates o seguinte: “Não se admite que um cabrão de um secretário de Estado, ministro ou um filha da puta qualquer que seja governante e receba do erário público, gaste uma média de 295 euros por refeição paga por todos nós, através do Orçamento de Estado. Não se admite, ponto final”

Actualização em 14 de Janeiro – O mesmo magistrado aposentado, arrasa hoje no seu blogue, a tal sonsa deputada socialista, que acumulava alegremente duas remunerações, a de deputada na Assembleia da República e outra da REN, que lhe permitiu meter ao bolso 11.000 euros/mês. E também não escapam outros socialistas chico-espertos que descobriram a receita mágica para meter milhões ao bolso e nele até se fala das melhorias, pagas com o dinheiro dos contribuintes, numa propriedade de um juiz desembargador, o mesmo juiz que há poucos anos, e foi apanhado numa escuta a pedir ao presidente do IRN (que foi posteriormente condenado por corrupção) que arranjasse comprador – imigrantes chineses candidatos a vistos dourados em troca de investimentos superiores a 500 mil € – para casa de um amigo, em Leiria https://portadaloja.blogspot.com/2023/01/os-moinhos-do-tuela.html#disqus_thread