A Resolução do Conselho de Ministros e a magnífica medida triplamente virtuosa

Foi ontem finalmente publicada no Diário da República a Resolução do Conselho de Ministros n.º 82/2022 que define o conteúdo do solene Plano de Poupança de energia 2022-2023, que se destina a responder às dramáticas consequências da criminosa invasão russa da Ucrânia. Ou seja o (23º) Governo Português, assim dando mostras de proverbial preguiça e ou incompetência, necessitou de nada menos de 90 dias para excretar este “aborto”, leia-se para fazer algo que já era uma evidência no passado mês de Junho 

Entre as várias medidas listadas no mesmo, não podia faltar obviamente a recomendação do teletrabalho, que aparece referido no documento mais de uma dezena de vezes, para dessa forma se tentar reduzir o consumo de combustível associado às deslocações casa-trabalho. Na mesma também é recomendada a redução da velocidade máxima nas auto-estradas, baixando de 120 para os 100 km/h. A dita Resolução porém nada diz sobre se os membros deste inominável Governo também irão passar a dedicar-se ao teletrabalho, deixando assim de se dedicar aquele que parece ser o seu desporto favorito, que é o de se deslocarem a quase 200 km/h, não se importando nem com o enorme gasto de combustível, nem sequer mesmo com a possibilidade de atropelarem e matarem alguém ? 

Infelizmente também lá não se consegue encontrar uma medida magnífica que há muito se utiliza em países desenvolvidos e decentes (o que não é o caso do nosso país que não é uma coisa nem a outra, como bem avisava o corajoso Medina Carreira e desgraçadamente mais uma vez se confirmou aqui) e que não só permitiria poupar uma elevada quantidade de combustível, permitiria também aumentar a confiança da maioria dos Portugueses na justiça (rodoviária) e não menos importante, permitiria ainda ajudar a encher os cofres das Finanças !